quarta-feira, 10 de março de 2010

Colestase


A colestase é a redução ou a interrupção do fluxo biliar. O fluxo biliar pode ser comprometido em qualquer ponto entre os hepatócitos e o duodeno (a porção superior do intestino delgado). Apesar da bile não estar fluindo, o fígado continua a produzir bilirrubina, que escapa para o interior da corrente sangüínea. A bilirrubina é então depositada na pele e eliminada na urina, causando icterícia. Para propósitos diagnósticos e terapêuticos, as causas de colestase são divididas em dois grupos: as intra-hepáticas (originadas no interior do fígado) e as extra-hepáticas (originadas fora do fígado). As causas intra-hepáticas incluem a hepatite, a hepatopatia alcoólica, a cirrose biliar primária, efeitos de drogas/medicamentos e efeitos de alterações hormonais durante a gravidez (condição conhecida como colestase da gravidez). As causas extra-hepáticas incluem o cálculo no interior de um ducto biliar, a estenose (estreitamento) de um ducto biliar, o câncer de um ducto biliar, o câncer de pâncreas e a inflamação do pâncreas.

Sintomas
A icterícia e a urina escura são decorrentes do excesso de bilirrubina na pele e na urina, respectivamente. Algumas vezes, as fezes são claras devido à ausência de bilirrubina no intestino. Alem disso, as fezes podem conter um excesso de gorduras (condição denominada esteatorréia), pois não existe bile no intestino para ajudar na digestão das gorduras alimentares. A ausência de bile no intestino também acarreta uma absorção inadequada de cálcio e de vitamina D. Se a colestase persistir, a falta desses nutrientes poderá causar perda óssea, que pode acarretar dores ósseas e fraturas.
As substâncias necessárias para a coagulação sangüínea também são mal absorvidas, acarretando uma propensão ao sangramento fácil. A retenção de produtos da bile na circulação pode pode causar prurido e, conseqüentemente, lesões cutâneas devidas ao ato de coçar. A icterícia prolongada devida a uma colestase acarreta uma alteração da coloração da pele, passando a ter uma cor de barro, e a formação de depósitos amarelos (de gordura) na pele. A causa da colestase determina se o indivíduo apresentará outros sintomas como, por exemplo, dor abdominal, perda de apetite, vômito ou febre.

Tratamento
Normalmente, a obstrução extra-hepática pode ser tratada cirurgicamente ou através de um procedimento endoscópico (procedimento realizado com o auxílio de um tubo de visualização flexível com instrumentos cirúrgicos acoplados). Dependendo da sua causa, a obstrução intra-hepática pode ser tratada de várias maneiras. Quando existe a suspeita da causa ser um medicamento, o indivíduo deve interromper o seu uso. Quando a causa da obstrução é uma hepatite, a icterícia e a colestase desaparecem no decorrer da doença. Para tratar o prurido, pode ser administrada a colestiramina pela via oral.
Este medicamento ligase a determinados produtos da bile no intestino e impede a sua reabsorção. Conseqüentemente, eles não irritarão a pele. Exceto quando o fígado encontra-se gravemente comprometido, a administração de vitamina K pode melhorar a coagulação sangüínea. Quando a colestase persiste, podem ser administrados suplementos de cálcio e de vitamina D. No entanto, eles não são muito eficazes na prevenção da doença óssea. Quando ocorre uma excreção excessiva de gordura nas fezes, o indivíduo pode necessitar de suplementação de triglicerídeos.


postado por: Jorge Ney e Aline Ferreira

3 comentários:

  1. Acredito estar com colestase, pois apareceu uma alergia na minha pele e que coça muito. Tive esse mesmo problema na minha gravidez, colestase gestacional. Assim que meu bebê nasceu sumiu, mas agora, 02 anos depois voltou, será que é problema hormonal, pois tenho 45 anos.Estou tomando polaramine e meticorten, e também um remédio para início de depressão cloridratode amitriptilina surgindo uma pequena manchinha da alergia... e hoje já está bastante adiantado... o que faço?

    ResponderExcluir
  2. Tive essa coceira absurda no ano passado, que causou o escurecimento da pele. Procurei um dermatologista e foi diagnosticada como alergia. Este ano, fui internada com vários sintomas como icterícia, bilirrubina elevada, plaquetas baixas e fui encaminhada ao hepatologista que suspeita de uma colestase ou cirrose biliar... Fiz exames de sangue, tomografia, endoscopia, Doppler, biopsia do fígado para saber se comprometeu o órgão. Portanto, corra atrás, vá em busca de um Gastro. No meu caso, o médico hepatologista já chegou a falar em transplante de fígado... Estou na expectativa do resultado da biopsia para ter certeza dessa necessidade e rezando a Deus por um milagre. Boa sorte!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, como vc está? meu caso é parecido com o seu.
      Lisiane

      Excluir